sexta-feira, 14 de julho de 2017

A solidão


Acredito que no fundo, ninguém gosta de ficar sozinho... Todo mundo quer achar uma alma gêmea... Se é que ela existe... Esse alguém que conseguiria estar na mesma sintonia... Ou no mínimo, pessoas com as quais nos identificássemos... Que estivessem à altura daquilo que vai no nosso ser... Com as quais nossa alma, mente, corpo e coração pudessem “dialogar” de igual pra igual... Com as quais pudéssemos, de preferência, aprender... Mas que também pudessem nos aceitar...

Porém a solidão é preferível a muitas coisas...

É preferível àquelas pessoas, que fingidamente querem parecer a todos, amor por você, quando na verdade foram os principais autores do motivo motor de toda a sua busca irrefreada por aquilo que lhe deveria ser naturalmente oferecido; porém manipuladamente, subtraem... Ou dão, mas sugam... Ensinam, mas deturpam... Machucam, mas não reconhecem... Matam; assassinam o seu eu... Mas dizem: “Amo você...”

É preferível àquelas pessoas, que por não compreenderem, criticam... Que enfiam dentro de si e dos mais próximos, sua verdade absoluta, mas são “apegados a uma só idéia, estereotipados em sua maneira de agir”... EGW - OE, pág. 119, por medo, competição ou falta de visão...

É preferível àquelas pessoas, que demonstram desejos ou atitudes egoístas com relação a você, e que consequentemente te provocam uma linguagem corporal ou oral, à altura; mas que, imaturamente, não aceitando, se voltam contra você, como se tivessem razão...

É preferível àquelas pessoas, que se utilizam de suas vantagens, prerrogativas ou poder, para explorar, abusar, manipular, controlar, dominar ou te desequilibrar e não têm nenhuma vergonha de aparecer ou se promover para os demais, como se estivessem moral, profissional ou espiritualmente acima de você...

É preferível àquelas pessoas, que fantasiam sua perfeição, se decepcionam e daí te largam... Ou àquelas que são ocupadas 24 horas por dia... Ou àquelas que se aproveitam das suas brechas... Ou àquelas que não entendem expressões artísticas... Ou àquelas, cujo amor se condiciona a você aguentar loucuras mil, mas sem enlouquecer...

É preferível àquelas pessoas, que são “tão inteligentes” e “tão sapientes”, que interpretam tudo o que você faz ou é, do jeito errado... E ainda tentam provar para os outros, a sua tese...

É preferível àquelas pessoas, que não têm um mínimo de sensibilidade com as suas cicatrizes, criando mais cicatrizes...

É preferível àquelas pessoas, que ao invés de serem geradoras de vida, te geram doenças...

É preferível àquelas pessoas, que vestem máscaras ou acham que a vida é um teatro...

É preferível àquelas pessoas, que você explica, explica, explica e infelizmente parecem não entender nada...

É preferível a atividades, as quais você não se interessa, ou não se identifica, ou que não te nutrem, sendo muito mais interessante passar o dia inteiro ou varar a madrugada fazendo coisas que pra você, fazem sentido...

Quando você alcança um nível no qual você enxerga rapidamente o que está na sua frente e como sua vida pode virar de cabeça pra baixo se você der trela, atenção ou dedicação, você não pensa duas vezes... Levanta, pega você mesmo e vai para o TEU lugar, para o TEU espaço, para o TEU mundo...

Mas como ninguém é uma ilha e realmente Deus disse: “Não é bom que o homem esteja só...”, a gente sofre... E muito... Mas a experiência me tem ensinado que cada um tem a sua realidade e personalidade, e que ficar sozinho muitas vezes, é melhor do que estar mal acompanhado... Não de pessoas imperfeitas, porque todo mundo é imperfeito, mas de gente ou atividades, que você sabe que podem te fazer mais mal, do que bem...

Então, realmente...

A solidão é preferível a muitas coisas...


Rosely T. Sales