terça-feira, 26 de novembro de 2013

Igrejas clamam silenciosamente




"Muitas, muitas igrejas, principalmente pequenas, estão nas mãos de líderes leigos extremistas que estão a anos-luz das orientações e da teologia oficial da IASD. Esses líderes inventam suas próprias regras, mandam e desmandam a seu gosto, tornam as suas opiniões pessoais o padrão da igreja local e se aproveitam da ignorância dos irmãos, que desconhecem completamente o Manual da Igreja e as posições oficiais da IASD. Infelizmente, essa ditadura baseada em extremismos, contrária à Palavra de Deus e à teologia adventista, é considerada a voz de Deus. E ai do irmão que se levantar contra os padrões inventados por esses líderes! 

Geralmente, o pastor distrital não pode fazer muito, ou porque desconhece o caso, ou porque ele mesmo está desinformado sobre o ensino bíblico e a posição da IASD, ou porque os anciãos possuem status e dinheiro (e o que faz diferença, no final, é isso). Dessa maneira, muitas igrejas estão nas mãos do 'irmão fraco', o mais imaturo, mais legalista e mais desinformado (Rm 14; 1Co 8 ). Esse é um grande paradoxo: o irmão fraco deveria ser auxiliado e alimentado, para que amadureça. Mas muitas vezes acontece o contrário: como a igreja local se conforma aos erros dele, ele nunca cresce. Assim, são formadas e perpetuadas igrejas de bebês espirituais.

Assim como na época de Cristo, a igreja está clamando, muitas vezes silenciosamente, para ser libertada das invenções humanas. Quando os irmãos descobrirem o que a Palavra de Deus e a própria IASD ensinam, acontecerão muitas mudanças nas igrejas locais. E muitos desses próprios líderes leigos desinformados compreenderão a verdade e a aceitarão, porque o problema não está neles; eles foram apenas enganados.

Mas não é fácil se libertar de ideias equivocadas acariciadas por muitos anos. Vemos isso em membros de outras denominações. Mas é imprescindível que isso aconteça entre nós. A Bíblia e a história da IASD estão repletas de exemplos de casos em que o povo de Deus viu as invenções humanas confrontadas com a verdade. Exemplos conhecidos são os fariseus e os adventistas em 1888. Em 1887, quando Ellen White fez um apelo especial ao reavivamento e reforma, todos eram bons adventistas, rigorosos, ortodoxos e legalistas. O apelo começou a ser atendido um ano depois, na assembleia de 1888. Para Ellen White, a chave do reavivamento e reforma não era inventar normas não bíblicas, mas exaltar a Cristo e Sua suficiência. Sobre o que de fato é reavivamento e reforma, veja todo o livro A mensagem de 1888, de George Knight (CPB)".

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Jesus não era machista




Jesus não era machista. Mas é impressionante como AINDA existe machismo hoje em dia no meio cristão... existem até mulheres que são machistas. O que é o machismo? É a crença de que a mulher é inferior ao homem. Mulheres e homens não são iguais não, são diferentes, cada um tem o seu papel. Porém, para Deus somos iguais como pessoas. Portanto, se para Deus (perante Deus) somos iguais, não é certo subjugar a mulher em nada. E apesar de reconhecermos que existem coisas que o homem fará bem melhor que a mulher, e que existem coisas que a mulher fará bem melhor que o homem, apesar disso, existem exceções de homens que fazem coisas que consideramos "de mulher" muito bem, e mulheres que fazem coisas que consideramos "de homem" muito bem. Por isso não devemos ser preconceituosos (o machismo é um tipo de preconceito cultural) não devemos discriminar a mulher em nada, sabendo que a mulher é sim, capaz de desempenhar muitos papéis, se assim Deus exigir dela. Abaixo o machismo, e viva Jesus que resgatou a dignidade da mulher! 

Paz!

Sarah Sheeva