quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Pedido de oração!


Senhor... Deus... Pai...

Age em favor das mulheres da Sua igreja... Aquelas a quem o inimigo vem tentando destruir desde o ventre materno e que têm missões especiais no meio e fora do Seu povo... Aquelas a quem os próprios pais, usados pelo inimigo, procuraram silenciar a todo custo, por causa de seus próprios pecados de consequências devastadoras, cujas mentiras enganaram a muitos... Cujas mentiras, por serem encenadas justamente pelos escolhidos para serem os guardiões dessas filhas e representantes da Tua face de amor, acabaram por manipular o mundo à sua volta e fizeram muitos acreditar num teatro... Age em favor dessas mulheres, que tiveram pais fracos e abusivos... Para que a verdade prevaleça!!! Para que a verdade guardada dentro dessas mulheres especiais, seja revelada no tempo certo... Para que a enorme revolta e todos os traumas agonizantes, aflitivos, corrosivos e destrutivos, sejam expulsos antes que seja tarde demais... Para que elas tenham verdadeira paz... E de alguma forma milagrosa, sejam capazes de perdoar o mal humanamente imperdoável desses pais...

Age em favor das mulheres da Sua igreja... Aquelas que por causa de problemas familiares ou outros problemas diversos, se entregaram a homens que não souberam valorizá-las, cuidá-las e protegê-las... Que não souberam amá-las verdadeiramente e enxergar o ouro precioso escondido por trás de seus traumas familiares, por trás de seus problemas, por trás de suas incapacidades, por trás de suas doenças ou por trás de suas inseguranças... Aquelas que se entregaram a homens que não souberam valorizar os seus talentos... Que não souberam cuidar de suas dores... Que usaram de abuso físico, emocional, financeiro e até espiritual com objetivos egoístas e malignos... Que roubaram seus dias; sua juventude ou a vida inteira... Fazendo-as chorar, ao invés de sorrir... Fazendo-as duvidarem de si mesmas, ao invés de se sentirem confiantes... Fazendo-as isolar-se, ao invés de saírem para a vida... Fazendo-as ter medo, ao invés de imbuir-lhes coragem... Fazendo-as morrer para a vida, ao invés de sonharem...

Age em favor das mulheres da Sua igreja... Aquelas a quem a Tua própria igreja, que Você mesmo instituiu, acabou perseguindo ao invés de acolher, proteger e amar... Aquelas a quem o inimigo perseguiu através de anciãs, anciãos, pastores, líderes, jovens ou membros, que usaram de seus privilégios, prerrogativas ou poderes para oprimir... Aquelas a quem tais pessoas silenciaram a voz, quando deveriam ter ouvido com respeito e amor... Aquelas que foram ouvidas, mas que através de manipulação espiritual, através da manipulação da Tua própria Palavra, a Bíblia, acabaram acusando sem ter base, nem conhecimento profundo, de suas próprias dores... Aquelas a quem homens, representantes do sexo masculino, membros dessa mesma igreja, acabaram por valer-se de suas fragilidades e vulnerabilidade com objetivos egoístas... Aquelas a quem mulheres, representantes do sexo feminino, por inveja ou outros motivos, acabaram induzindo ao erro ou causando dor e sofrimento...

Age em favor das mulheres da Sua igreja... Aquelas que saíram dela, por perseguição ou outros motivos, e conheceram a frieza e malignidade do mundo... Aquelas que estiveram tão longe, mas tão longe, que só a Tua mão e o Teu braço infinito, puderam alcançar... Aquelas que caíram nas armadilhas do inimigo... Aquelas que estiveram muito longe do Sol da justiça e conheceram as trevas da noite profunda e tenebrosa... Aquelas a quem o inimigo enlaçou com suas mentiras e prazeres, e nelas tentou criar raízes... Aquelas que foram a ovelha perdida e que berrando tão alto, mas tão alto, ficaram sem voz... Mas que o Teu Amor alcançou e ainda pode alcançar...

Age em favor das mulheres da Sua igreja... Aquelas que trabalham fora e por estarem expostas no ambiente de trabalho, sofreram assédios de chefes, superiores ou colegas... Aquelas que sofreram assédios sexuais ou morais, os quais fizeram com que sua vida pessoal e profissional fossem negativamente afetadas... Aquelas que foram objeto de intolerância, falsidades, fofoca, opressão, invasões ou traições... Aquelas que foram ridicularizadas e passaram por bulling, só por ser diferentes... Aquelas que foram objeto de más intenções por parte de maus colegas e que desenvolveram doenças diversas e precisaram se afastar do trabalho por esta ou demais razões...

Age em favor das mulheres da Sua igreja... Aquelas que são objeto de incompreensão por parte de pessoas da vizinhança e da sociedade... Aquelas que foram e são provocadas por pessoas que não Te conhecem... Que não sabem de suas histórias, de suas dores e sofrimentos, e das cruzes que carregam...

Age em favor das mulheres da Sua igreja... Aquelas a quem os amigos abandonaram e que são vítimas de solidão há muito tempo; meses ou anos... Aquelas a quem os amigos não conseguiram compreender, por não as alcançarem no seu íntimo e em seus problemas mais profundos... Aquelas a quem a mão amiga não alcançou, não apertou, não abraçou ou não ajudou...

Age em favor das mulheres da Sua igreja... Aquelas a quem o irmão ou a irmã, do próprio sangue, esqueceram... Aquelas a quem esse irmão ou irmã, não compreende, apesar do próprio ninho... Aquelas a quem esse irmão ou irmã odeia... Aquelas a quem esse irmão ou irmã, não ama de verdade...

Pai... Sê o pai, a mãe, o irmão e a irmã dessas mulheres... Sê o marido e o namorado... Sê o pastor e o líder... O ancião e a anciã... Sê o jovem, ou velho amigo, ou amiga... Sê o chefe e o colega... Sê o vizinho e a vizinha... Seja tudo o que elas precisam...

Seja o Amor dessas mulheres...


Rosely T. Sales

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Mulheres com H


Uns 5 anos atrás, um certo preceptor de um dos nossos internatos pregou em minha igreja. Chegou no púlpito, abriu um dos livros de Ellen G. White e leu pausadamente um trecho que eu já conhecia:


“A maior necessidade do mundo é a de homens; homens que não se comprem nem se vendam; homens que no íntimo da alma sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao pólo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus.”


Acabou de ler e... PUFF! Fechou o livro de uma só vez e exprimiu solenemente: “Mas a minha mensagem hoje, é para as mulheres!” Eu escorreguei para trás do banco, fitei o gordo e pretensamente refinado homem de meia idade e me endireitei tão ereta quanto um foguete, pronta para levantar voo! Sair dali! Imaginei mesmo que fosse um daqueles “polidos” sermões bem ao gosto dos prepas... E claro... “Tão inteligentemente” elaborado, não? Qual terá sido a mola propulsora? Uma bolada de alguma atleta do internato bem na sua cara? Não sei... To cogitando... Levantei as orelhas e pensei silenciosa e profeticamente: “Quero ver mesmo o que é que ele tem pra falar pra nós, mulheres...”

Falou, falou, falou, falou... Enumerou vários trechos de Ellen G. White, a qual admiro e não condeno. Inúmeras passagens referentes ao comportamento da mulher cristã. Passagens orientando as moças a serem boas donas de casa, prendadas, recatadas, modestamente vestidas, etc. Ok!!! Hoje aos 41, eu entendo... Talvez tenha muito a aprender e reaprender... Não acho que Ellen G. White está errada. Pelo contrário. Um de seus livros já salvou a minha vida... Isso só me fez acreditar ainda mais na Inspiração. Mas a questão não é essa... No finalzinho do sermão, quando eu já estava me contorcendo na cadeira e quase tendo um piti, dada a “insistente polidez” de nosso prepa bolinha, o qual, aliás... Estava fazendo um suspense tão gostoso, gente...!!!: “Irmãos... (dizia ele cuidadosa e relutantemente...). Eu não queria usar uma palavra assim... (e pausava relutante...). Uma palavra um tanto... (pausa novamente...). Nossa, gente, que homem cuidadoso, não? Pra não chocar os ouvidos dos irmãos... E disse: “Irmãos, uma moça, não pode sentar assim... (vai lá ele e senta delicadamente tipo macho na cadeira e abre as pernas). “Irmãos... (vai lá ele de novo e vomita polidamente a sua indignação civilizada...) uma moça não pode estar numa roda de rapazes e se expressar dessa forma...: ‘E aê, mano!’, ‘Falô, mano!’". Eu tive vontade de dar risada... Agora neste exato momento,  minha criança interior, como diz uma amiga, está dando gargalhadas...

Ok! Vamos às considerações... A culpa não é da garota!! Talvez, os homens à sua volta é que não tiveram capacidade pra serem homens de verdade... Muito provavelmente esse nosso prepa não conseguiu estar à altura para impor respeito, pois provavelmente não tinha as mesmas capacidades dessa ou dessas garotas... Percebeu-se limitado, por certo... E homem de verdade leia-se, homem semelhante a Cristo. Sim, porque pra mim, Jesus foi o maior homem que já existiu. A referência não é Gianecchini... A referência não é Bratt Pitt... Pra mim, a referência é Cristo!! Pergunto: Que culpa tem essa garota, talvez, de jogar futebol melhor do que os caras?! De chutar forte, driblar, golear? Que culpa tem essa garota, talvez, de encestar 11?!! Uma atrás da outra?!! Que culpa tem essa garota de tocar 1, 2, 3, 4, sei lá quantos instrumentos?!! Que culpa tem essa garota de conseguir pular muro, trocar pneu, fazer bicicross, acampar, subir e descer? Existe??? Existe!!! E cada vez mais, mais mulheres nesse mundo, estão demonstrando que para ser mulher você não precisa, necessariamente, ser uma Barbie... Tem mulheres que fazem coisas de homem e homens que fazem coisas de mulher, e nem por isso, deixam de ser mulher ou homem... Por que um homem teria, necessariamente, também, que ser um machão...? Bruto ou agressivo...? Por que não pode ser delicado...? Por que não pode ser artístico...? Por que não pode cozinhar...? Por que não pode costurar...?

Os pastores parece que são orientados na faculdade de Teologia, a dizer para seus fiéis: “Não existe machismo na bíblia...”, “Jesus não era machista...”. Mas não agem assim!! Existem as exceções, claro... Já vi pastores excepcionais... Mas na prática, isso muitas vezes não acontece... Nem da parte de pastores, nem de líderes, nem de membros... Pessoas limitadas, inexperientes, e às vezes até mau intencionadas, que ao invés de levarem pro céu, tão levando pro inferno...! Quantas dessas moças, mulheres, estão saindo, de repente, da igreja, por causa desses indivíduos...?! Quantas, dessas mulheres, estão lá fora precisando de Jesus e nunca vão pisar numa igreja por causa desses pseudo-inteligentes...?

Admitam suas limitações e aceitem as capacidades, talentos ou peculiaridades alheias... Femininas, no caso... Vão fazer uma faculdade de Psicologia...!

E aê, mano?!!! Gostou??? 

Irmãos... Eu não queria... (pausa...) Assim... (pausa...) Usar uma palavra... (pausa...) Uma palavra talvez um tanto "chula"... Mas a bíblia diz que “homens frescos” não entrarão no céu...

Obs.: Jesus gostava de flores!


Rosely T. Sales

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Chimamanda Ngozi Adichie: Não silencie essa voz


Escrevam programas de televisão onde a força das mulheres não sejam descrita como excepcional, mas como normal. Ensinem seus alunos a verem que a vulnerabilidade é humana e não feminina. Escrevam artigos em revistas que ensinem os homens a como manter as mulheres felizes, pois já temos artigos demais ensinando mulheres a manter os homens felizes.
Em entrevistas na mídia não esqueçam de perguntar aos homens como eles equilibram família e carreira. Nessa ideia de maternidade/paternidade como culpa, por favor dividam a culpa igualmente. Façam os pais se sentirem tão mal quanto as mães. Façam os pais compartilharem a glória da culpa. Façam campanha e mobilizem-se pela licença paternidade em todo país.
Contratem mais mulheres onde houver poucas. Mas lembrem-se que as mulheres que você contratar não precisam ser especialmente competentes. Como a maioria dos homens que são contratados, elas só precisam ser suficientemente competentes.
Recentemente, uma organização feminista gentilmente me nomeou para um prêmio importante, num país que vai continuar anônimo. Eu fiquei muito contente. Tenho tido muita sorte ao receber alguns prêmios até agora e gosto deles, especialmente os que vem com presentes brilhantes. Para receber esse prêmio eu deveria falar sobre o quão importante uma determinada escritora feminista européia tinha sido para mim. Mas a verdade é que eu nunca consegui terminar de ler o livro dela. O livro dela não falou comigo. Teria sido uma mentira dizer que ela teve qualquer influência no meu modo de pensar. A verdade é que eu aprendi muito mais sobre feminismo olhando as mulheres negociando no mercado perto de onde eu morava quando criança do que lendo qualquer texto feminista acadêmico. Eu poderia dizer que essa mulher foi muito importante para mim. Eu poderia ter feito o discurso, recebido o prêmio e um presente brilhante. Mas não o fiz. Porque eu comecei a me perguntar o que realmente significa usar esse rótulo de feminista publicamente.
Assim como também me perguntei isso após alguns trechos do meu discurso sobre feminismo ser usado na música de uma cantora talentosa que vocês devem conhecer. Eu achei que tinha sido uma coisa muito boa que a palavra feminista estava sendo apresentada para uma nova geração, mas fiquei assustada com a quantidade de pessoas — muitas delas feministas acadêmicas — terem visto algo de problemático ou mesmo ameaçador nisso. Foi como se o feminismo devesse ser um culto elitizado com direitos autorais e filiação. Mas não deveria. Feminismo deveria ser um partido/festa inclusiva. Feminismo deveria ser um partido/festa cheio de diferentes feminismos. Então, Turma de 2015, por favor, vão lá fora fazer do feminismo um partido/festa barulhento e inclusivo.
As últimas 3 semanas foram as mais emocionalmente difíceis da minha vida. Meu pai tem 83 anos. Ele é um professor de estatística aposentado. Um homem simples, adorável e gentil. Eu sou absolutamente a xodó do papai. Há 3 semanas atrás, meu pai foi sequestrado perto de sua casa na Nigéria. E por alguns dias, eu e minha família vivemos um tipo de dor emocional que nunca tinha conhecido antes. Nós estávamos falando com estranhos ameaçadores no telefone, pedindo e negociando a segurança de meu pai, sem ter realmente certeza se ele estava vivo. Ele foi solto após o pagamento do resgate. Ele está bem. Ele está saudável e do seu jeito amoroso ele nos reafirma que sim, ele está bem.
Eu ainda não consigo dormir bem. Ainda acordo muitas vezes a noite, em pânico, preocupada que alguma coisa não esteja bem. Ainda não consigo olhar para meu pai sem lutar contra as lágrimas, sem sentir esse profundo alívio e gratidão que ele esteja a salvo, mas também sinto raiva que ele tenha passado por essa indignidade ao seu corpo e seu espírito. Essa experiencia me fez repensar muitas coisas. O que realmente importa ou não importa. O que eu valorizo ou não. E vendo vocês se formando hoje, eu insisto que vocês reflitam sobre isso um pouco mais. Pensem sobre o que importa para vocês. Pensem sobre o que vocês desejam que seja importante para vocês.
Eu li sobre essa adorável tradição que vocês tem aqui de chamar as alunas mais antigas de “irmãs mais velhas” e as alunas novas de “irmãzinhas”. Também li sobre a estranha tradição de ser jogada numa lagoa — eu não entendi essa —. mas de qualquer forma, gostaria muito de hoje ser a sua irmã mais velha honorária. O que significa que gostaria de lhes dar alguns conselhos como uma irmã mais velha faria.
No mundo inteiro, as meninas são ensinadas a serem agradáveis, a se moldarem em formas que agradem outras pessoas. Por favor, não se modifiquem para agradar outras pessoas. Não façam isso. Se alguém gosta dessa versão sua que é falsa e te diminui, essas pessoas gostam de uma forma vazia e não de você. E o mundo é tão gloriosamente vasto, multifacetado e diverso que certamente existem pessoas no mundo que vão gostar de você como você é.
Eu tenho sorte que minha escrita me deu esse espaço que eu escolhi usar para falar sobre as coisas que são importantes para mim. E eu já disse coisas que não são bem vistas por algumas pessoas. Já me mandaram ficar de boca fechada sobre algumas coisas, como minha posição sobre os direitos dos homossexuais no continente africano, ou sobre a minha crença na absoluta igualdade entre homens e mulheres. Eu não falo para provocar. Eu falo porque penso que o nosso tempo na Terra é muito curto e cada momento que não estamos sendo verdadeiros conosco, cada momento que fingimos ser o que não somos, cada momento que dizemos o que não acreditamos mas sim algo que imaginamos ser o querem que falemos, estamos perdendo tempo na Terra. Não quero soar esnobe, mas não percam seu tempo na Terra. Com apenas uma exceção. O único jeito aceitável de perder o seu tempo é comprando na internet.
Uma última coisa sobre minha mãe. Eu e minha mãe discordamos sobre muitas coisas quando o assunto é gênero. Existem algumas coisas que minha mãe acredita que uma pessoa deve fazer apenas “por ser mulher”. Como ocasionalmente acenar e sorrir, mesmo que sorrir seja a última coisa que se queira fazer. Como estrategicamente deixar de argumentar apenas porque a outra pessoa com quem se está discutindo não é uma mulher. Como casar e ter filhos. Eu penso que tudo isso pode ser feito por algumas boas razões, mas “porque você é uma mulher” não é uma delas. Então, Turma de 2015, nunca aceitem o “porque você é uma mulher” como uma razão para fazerem ou deixarem de fazer alguma coisa.
E, finalmente, eu gostaria de terminar esse discurso com uma menção especial sobre a coisa mais importante do mundo: amor. Atualmente, as garotas são frequentemente criadas para entenderem o amor apenas como doação. As mulheres se sentem realizadas com seu amor quando esse amor é um ato de doação. Mas amar é dar e também receber. Por favor, amem dando e recebendo. Dar e receber. Se você está apenas dando, sem receber, você saberá. Você sabe por meio daquela voz pequena e verdadeira que está dentro de você e que nós mulheres tão comumente somos ensinadas a calar. Não silencie essa voz. Ousem dizê-la. Parabéns!
Autora
Chimamanda Ngozi Adichie é autora de diversos livros, entre eles: Hibisco Roxo, Meio Sol Amarelo e Americanah. Já ganhou inúmeros prêmios literários, tendo seu trabalho traduzido para mais de 30 línguas. Atualmente, ela divide seu tempo entre os Estados Unidos e a Nigéria.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Mulher Maravilha



Um dos filmes mais legais que já vi: Mulher Maravilha... Sua beleza... Sua inteligência... Sua força interior e exterior... Seus talentos, habilidades, cultura.... A parte que ela de repente para, encantada, com um bebê; criaturinha que talvez no seu mundo, nunca tenha visto... Seu coração que se condói com o sofrimento de outras pessoas... Suas explicações espontaneamente feministas: O cara acha que pode ensinar-lhe algo sobre sexo, quando ela já nasce com o poder... kkkkk... Fora a cena incrível do beijo...

Você sai do cinema, identificada, mas também querendo ser essa heroína... Com seu laço que expreme as pessoas até contarem a verdade... rsrs... E com seus invencíveis braceletes, cujos punhos incrivelmente ágeis, desviam e amortecem todos os tiros na velocidade da luz (Preciso dessas jóias, pra desviar um monte de gente...). Ela é uma amazona!!! Ela pode qualquer coisa!!! Até o diabo, ela derrota!

Acredito que existam, na realidade, muitas Mulheres Maravilha no nosso mundo... Acredito que todas somos... Mas a verdade é que somos todas mortais... Pobres mortais... Nessa guerra entre o bem e o mal, precisamos do poder de Cristo, para vencer... Essa conversa de: "Descubra o Deus que existe em você", não existe... De fato, a história da Mulher Maravilha, é a história de Cristo, recheada de fantasia e erros teológicos... (Quando saí do cinema eu já sabia que o Michelson iria comentar isso...).

Enfim... A realidade dura da vida, é diferente... Não existe fantasia... Só na cabeça da gente... O tal do auto-fluxo, que o Augusto Cury tanto fala... Que não nos deixa morrer de tédio, solidão e angústia existencial...

A verdade é que muitas mulheres têm suportado tanta porrada, pancada, surra, que têm morrido... Ou sobrevivido com sequelas físicas, mentais e/ou emocionais... Muitas mulheres têm suportado tanto abuso de pais, namorados, maridos, que têm morrido para a vida... Enterrado seus sonhos... Muitas mulheres têm suportado tantas pressões e perseguições na família, na igreja, no trabalho, na sociedade, que têm embrutecido, enlouquecido, adoecido... Têm perdido até a beleza interior e exterior... Têm passado por depressões, ansiedades, loucuras e tido suas capacidades mentais e emocionais, comprometidas... Muitas mulheres têm perdido até a fé... Por causa de membros e pastores, usados não por Deus, mas pelo inimigo... Muitas mulheres têm suportado o que muito homem, não teria capacidade pra suportar...

Por isso, me revolta, quando muitas vezes um idiota comenta coisas do tipo:

“...Ficou amarga...”
“...Você tá ficando igual sua mãe...”
“...Parece uma bruxa...”
“...Isso é falta de macho...”
“...Se acha mas não tem nem bunda...”
“...Não serve pra nada...”
“...É uma vagabunda...”
“...É sapatão...”
“...Você reclama demais...”

São só alguns exemplos...

Revolta ouvir, ver e sentir tanta covardia, tanta falta de sensibilidade e compreensão...

Agora... O pior é que quando uma mulher faz igual, com os homens, parece que é mil vezes mais criticada... Mil vezes mais mal falada... Mil vezes mais vítima de oposição... Mil vezes mais levadas a crer, que são culpadas por sentir, falar e agir dessa ou daquela forma... Como se esses homenzinhos, fossem de cristal...

Muita gente nem sonha, o que pode esconder-se atrás de um sorriso... Mais... Muitas vezes as pessoas com o sorriso mais bonito, supreendentemente são, as que mais sofreram... O mundo só se toca quando esse sorriso desaparece... E dá lugar a um rosto triste ou cheio de ira...


“Não aceite críticas de quem não conhece suas lutas”



Rosely T. Sales

sexta-feira, 14 de julho de 2017

A solidão


Acredito que no fundo, ninguém gosta de ficar sozinho... Todo mundo quer achar uma alma gêmea... Se é que ela existe... Esse alguém que conseguiria estar na mesma sintonia... Ou no mínimo, pessoas com as quais nos identificássemos... Que estivessem à altura daquilo que vai no nosso ser... Com as quais nossa alma, mente, corpo e coração pudessem “dialogar” de igual pra igual... Com as quais pudéssemos, de preferência, aprender... Mas que também pudessem nos aceitar...

Porém a solidão é preferível a muitas coisas...

É preferível àquelas pessoas, que fingidamente querem parecer a todos, amor por você, quando na verdade foram os principais autores do motivo motor de toda a sua busca irrefreada por aquilo que lhe deveria ser naturalmente oferecido; porém manipuladamente, subtraem... Ou dão, mas sugam... Ensinam, mas deturpam... Machucam, mas não reconhecem... Matam; assassinam o seu eu... Mas dizem: “Amo você...”

É preferível àquelas pessoas, que por não compreenderem, criticam... Que enfiam dentro de si e dos mais próximos, sua verdade absoluta, mas são “apegados a uma só idéia, estereotipados em sua maneira de agir”... EGW - OE, pág. 119, por medo, competição ou falta de visão...

É preferível àquelas pessoas, que demonstram desejos ou atitudes egoístas com relação a você, e que consequentemente te provocam uma linguagem corporal ou oral, à altura; mas que, imaturamente, não aceitando, se voltam contra você, como se tivessem razão...

É preferível àquelas pessoas, que se utilizam de suas vantagens, prerrogativas ou poder, para explorar, abusar, manipular, controlar, dominar ou te desequilibrar e não têm nenhuma vergonha de aparecer ou se promover para os demais, como se estivessem moral, profissional ou espiritualmente acima de você...

É preferível àquelas pessoas, que fantasiam sua perfeição, se decepcionam e daí te largam... Ou àquelas que são ocupadas 24 horas por dia... Ou àquelas que se aproveitam das suas brechas... Ou àquelas que não entendem expressões artísticas... Ou àquelas, cujo amor se condiciona a você aguentar loucuras mil, mas sem enlouquecer...

É preferível àquelas pessoas, que são “tão inteligentes” e “tão sapientes”, que interpretam tudo o que você faz ou é, do jeito errado... E ainda tentam provar para os outros, a sua tese...

É preferível àquelas pessoas, que não têm um mínimo de sensibilidade com as suas cicatrizes, criando mais cicatrizes...

É preferível àquelas pessoas, que ao invés de serem geradoras de vida, te geram doenças...

É preferível àquelas pessoas, que vestem máscaras ou acham que a vida é um teatro...

É preferível àquelas pessoas, que você explica, explica, explica e infelizmente parecem não entender nada...

É preferível a atividades, as quais você não se interessa, ou não se identifica, ou que não te nutrem, sendo muito mais interessante passar o dia inteiro ou varar a madrugada fazendo coisas que pra você, fazem sentido...

Quando você alcança um nível no qual você enxerga rapidamente o que está na sua frente e como sua vida pode virar de cabeça pra baixo se você der trela, atenção ou dedicação, você não pensa duas vezes... Levanta, pega você mesmo e vai para o TEU lugar, para o TEU espaço, para o TEU mundo...

Mas como ninguém é uma ilha e realmente Deus disse: “Não é bom que o homem esteja só...”, a gente sofre... E muito... Mas a experiência me tem ensinado que cada um tem a sua realidade e personalidade, e que ficar sozinho muitas vezes, é melhor do que estar mal acompanhado... Não de pessoas imperfeitas, porque todo mundo é imperfeito, mas de gente ou atividades, que você sabe que podem te fazer mais mal, do que bem...

Então, realmente...

A solidão é preferível a muitas coisas...


Rosely T. Sales